chester's blog

technology, travel, comics, books, math, web, software and random thoughts

Seiren E O Marinheiro Paupaye

| Comments

AVISO IMPORTANTE: LINKS NÃO APROPRIADOS PARA MENORES E AMBIENTE DE TRABALHO

Imagino que metade dos visitantes regulares deste blog fica meio perturbada com o fato de eu dar tanta bola para quadrinhos infantis (o que ficou flagrante em um post recente). Como eu detesto injustiça, resolvi chocar a outra metade, falando sobre quadrinhos nada infantis – no caso, do Seiren.

O site disponibiliza as histórias de um cara chamado Nill (que, entre outras coisas, já foi assistente de estúdio do renomado Luiz Gê). Nill e seu amigo Rick mantiveram o site gratuito durante algum tempo até que, no ano passado, mudaram para um formato de assinatura. No entanto, boa parte dos trabalhos feitos na era free continuam disponíveis na área de “free tour” do site (e em outros lugares fora dele, como era de se esperar).

Eu mesmo não conhecia o trabalho – levantei estas informações via Google Cache (aqui, aqui e aqui), e só descobri porque me mandaram o link para O Marinheiro Paupaye. Trata-se de uma das mais divertidas sátiras que já li – nela, o comportamento absolutamente bandido da Olívia Palito (que, em todo desenho se engraçava para cima do Brutus, apenas para ser “salva” pelo infeliz do Popeye) é cruamente desnudado (para não falar da própria). É impagável.

As outras sátiras eróticas não são tão engraçadas, nem exploram tão bem os aspectos sexuais implícitos dos originais, mas valem uma espiada. Uma das que mais apreciei em termos de arte e roteiro foi Fuckercats (Thundercats), e creio que os fãs do pornozão deslavado irão curtir Os Fucknstones (Os Flintstones). Quem se interssa por comics vai ter que assinar o site para conferir SexMen (X-Men fortemente calcado em Jim Lee), mas tem de graça um prêmio de consolação: Rhulk.

A assinatura abre uma gama de histórias, estas em geral com personagens originais – mas sempre erótico-pornográficas. A qualidade do traço e dos argumentos varia bastante (parecem ter sido produzidas em épocas bastante diferentes). Assim como nas sátiras, algumas chamam a atenção, mas ainda assim considero Paupaye a campeã. De longe.

Comments