chester's blog

technology, travel, comics, books, math, web, software and random thoughts

My Retweeted Tweets

| Comments

My Retweeted TweetsEu nunca me animei a colocar o widget do Twitter no blog porque meus tweets variam bastante, e nem todos são interessantes para um público mais amplo. Isso mudou quando ouvi, nos dois últimos minutos do Nerdcast 264, o Rafinha Bastos confessar que:

“Eu (…) deixo no meu twitter só as (…) tweetadas¹ que foram bem retweetadas”

O comentário pode parecer inócuo, mas ajuda a explicar como ele foi considerado tão influente pelo The New York Times – essa “limpeza” garante uma excelente proporção de retweets por tweet na timeline. E o filtro popular deixa quase tudo mais bacana – como qualquer leitor do Digg sabe. Mesmo sem a multidão de seguidores do Rafinha, é possível olhar a própria página de tweets que foram retweetados e conferir a diferença com relação ao “dia-a-dia”.

Infelizmente o widget do Twitter não permite colocar apenas os tweets retweetados. A API de busca também não ajuda, porque só vai até uns poucos dias no passado. O jeito foi colocar a mão na massa e criar o meu próprio widget. Usando o Google AppEngine, a API do Twitter (via Twitter4J) e um final de tarde, saiu o My Retweeted Tweets.

Basta autorizar o aplicativo e ele gera o código que você pode usar para deixar os tweets retweetados em evidência, como eu fiz na coluna lateral do blog (e na ilustração). O código-fonte, como de costume, é livre (Apache License) e está disponível para quem quiser. O aplicativo foi feito para uso próprio, então ainda pode ser bastante melhorado, mas está lá.

¹ Sim, tweetar e seus derivados forçam a amizade, como me lembrou a Bani. Mas é o que a tradução oficial do Twitter diz, então paciência…

Comments